Quando todos buscavam estabilidade, resolvi mudar

Quando todos buscavam estabilidade, resolvi mudar

Aquele momento de troca de mindset, onde desejamos ser mais do que apenas um número para uma companhia

Embora tenha me dedicado nos últimos dez anos a um cargo de executiva no mercado de luxo, sempre atuando nas áreas de vendas e comercial, nunca deixei de acreditar que somos fruto das nossas vivências e transformações.

E, sendo esse um segmento que aguça a curiosidade e o desejo de muitos, acumulei nesse período uma bagagem que me fez perceber que prestígio e estabilidade, talvez, não sejam suficientes.

Isso é algo que acontece com muitos empreendedores por aí. Aquele momento de troca de mindset, onde desejamos ser mais do que apenas um número para uma companhia e queremos seguir algum propósito, algo que alicerce nossos esforços profissionais e faça valer a pena.

O tão dolorido processo de mudança começou quando percebi que as diversas regras e padronizações impostas pela empresa na qual eu atuava não faziam nenhum sentido. No dia a dia era imprescindível utilizar esmaltes de cores claras nas unhas, roupas sempre pretas ou de cores sóbrias, salto alto e ter os cabelos sempre bem arrumados.

Porém, o mais importante era valorizar o produto que estaria sendo vendido. Sim, essa percepção pode acontecer após um, dois ou 10 anos porque sempre quando tivermos algo sinalizando que a rota precisa ser recalculada dentro de nós, sentimentos clássicos como dúvida, medo e fuga tendem a sobressair.

Houve também a questão psicológica, que desencadeou o bournout e inúmeras crises de choro. Me lembro bem que ao chegar do trabalho e abrir a porta de casa, a crise já vinha automaticamente.

Passei por esse processo todo tentando entender, e ouvir minha intuição, buscando forças onde não imaginava que tinha, para descobrir como seria possível mudar dentro da mesma estrutura CLT, dentro para fora, visando ainda a estabilidade, o cargo executivo e as vantagens que ele me trazia.

Mudei de setor, de unidade, desenvolvi um grande trabalho com a nova equipe e, mesmo assim, meus objetivos ainda não voltaram a se cruzar com a cultura da empresa.

E todo esse sentimento clareou com a descoberta da gravidez da Helena, minha primeira filha, hoje com três anos. Se intensificou e validou ainda mais na gravidez da minha caçula, Sophia, atualmente com dois anos.

Encontrei na maternidade a certeza que precisava para colocar em prática, em conjunto com meu marido Lucas, todo o planejamento da Splash Bebidas Urbanas, rede de franquia de cafeterias da qual hoje somos sócios-fundadores. E, em meados de 2018, em um momento em que todos buscavam, e ainda buscam, a estabilidade, eu resolvi mudar.

Nesse processo foram muitas as pessoas que duvidaram e diziam: “nossa, mas o mercado aí fora não está fácil” ou “você tem certeza de que vai abandonar tudo por algo que não é certo?”.

Marmita Fit menor

Mas hoje entendo que isso ressoa como música nos ouvidos de quem é inseguro. No entanto, optei por seguir em frente, com a maior vulnerabilidade possível. A verdade é que não haveria outra escolha possível, já que a possibilidade de manter uma vida sem propósito me angustiava mais do que qualquer coisa.

Um episódio bem libertador foi o dia em que eu retirei do meu armário uma quantidade enorme de roupas pretas e doei. É interessante compartilhar isso, pois quero que todos tenham a possibilidade de se auto-observar.

Muitas vezes ligamos nossa vida no automático e não percebemos as entrelinhas que nos levam a uma baixa estima, ansiedade e outros fatores que comprometem não só a saúde, mas também outras áreas da nossa vida.

Hoje me sinto realizada, atuando como responsável por toda a parte estratégica de concepção de novos produtos, marketing e comunicação da minha própria empresa. Uma franquia que cresce a cada dia e é a tradução da nossa forma de viver.

Trabalho muito mais, porém, hoje sou dona da minha agenda e meu processo criativo é reconhecido. Eu tinha uma vida muito mais confortável e, é fato, que com menos responsabilidades. Mas hoje posso dizer que sou infinitamente mais feliz empreendendo e, também, proporcionando a outros empresários, por meio das franquias, esse estilo de vida e de trabalho: mais leve e com propósito.

Brunna Farizel

Sócia-fundadora da Splash Bebidas Urbanas


Agência VitalCom