Franquias que expandiram com ações digitais

Franquias que expandiram com ações digitais

Três redes de franquias recuperam faturamento durante a pandemia com ações que integram o digital e o offline

Mesmo com o cenário de incertezas para os negócios e com a economia enfraquecida, algumas empresas foram na contramão deste movimento e permaneceram expandindo suas atuações com novas unidades de franquia.

A OAKBERRY, rede de alimentação saudável focada em açaí, que conta com mais de 230 unidades, em mais de onze países, teve o delivery e take-out como protagonista durante o isolamento. Com a queda nos pedidos, a marca também apostou no digital e começou a oferecer alguns de seus produtos, que até então eram consumidos apenas em seu próprio e-commerce. Este lançamento já estava no radar da empresa, mas foi colocado no ar rapidamente por conta da pandemia.

Mesmo com a crise econômica instalada, a rede que tem uma saúde financeira estável, deu continuidade no seu planejamento de expansão nacional e internacional, com mais de 50 unidades em fase de implantação no Brasil e seis no exterior. Além dessas, a expectativa é inaugurar outras 25 unidades no Brasil e mais oito fora do País, até o final do ano. Segundo o CEO e fundador da marca, Georgios Frangulis, “as vendas da OAKBERRY representam aproximadamente 8% de todo açaí vendido no Brasil”.

I wanna sleep, retail tech focada em sono e relaxamento, decidiu seguir os planos de expansão do negócio e dobrou a taxa de abertura de novas lojas em 2020. Até agora, foram três unidades lançadas e ainda com previsão do lançamento de outras quatro unidades até o fim deste ano. Durante esse período de pandemia, a empresa registrou aumento de 25% na procura por colchões, travesseiros e outros produtos.

“Nossa expansão está baseada em planejamento e controle. Tivemos que avaliar o mercado, as oportunidades, os recursos que tínhamos nesse momento e optamos em arriscar com a expansão, no total, fecharemos com 20 lojas assinadas, em São Paulo, Belo Horizonte, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro”, explica o CEO e fundador, Rafael Moura.

A Reserva, que conta com 81 lojas físicas, sendo 48 próprias e 33 franquias em todo o Brasil, é outro exemplo de empresa que conseguiu manter a expansão mesmo com o cenário delicado. Em setembro, a empresa inaugurou uma unidade da Reserva Go, especializada em sapatos, e deve inaugurar no próximo mês uma loja Reserva Mini, braço infantil da marca, ambas no Rio de Janeiro. Além dessas, mais seis lojas estão previstas para serem abertas até o final do ano.

A empresa viu seu faturamento cair em março, por isso, levou esforços para o e-commerce da marca com um plano para que os vendedores continuassem atuando e batendo suas metas. O “Somos Todos Vendedores” da Reserva, cresceu em faturamento oito vezes já no primeiro mês de pandemia e, hoje, tem mais de mil pessoas gerando cupons para as vendas comissionadas. Os vendedores das lojas físicas, puderam ganhar comissão trabalhando de casa e, mesmo trabalhando nas lojas físicas, podem continuar ganhando com as vendas online. Com a flexibilização das medidas de isolamento social, a estratégia da marca é apostar no omnichannel, estratégia de conteúdo entre canais para melhoria da experiência do usuário e melhor condução nos relacionamentos com o público, para garantir que o consumidor tenha excelência no atendimento em todos os pontos de contato com a marca.

Solução para os franqueados

Além de intensificar a presença nas redes sociais, a rede I wanna sleep trouxe as Lojas Físicas Online (LFOs) como inovação e passaram a funcionar como um delivery de sono e relaxamento, o que até então era inusitado para o setor de franquias. “A solução foi implantada em menos de uma semana e no primeiro mês recuperamos 30% do faturamento, em seguida, 50% e hoje já recuperamos 100% dele, vendendo o mesmo que em épocas pré-pandêmicas”, pontua o fundador.

Marmita Fit menor

Para Bernardo Barros, um dos franqueados das lojas inauguradas este ano, a solução foi fundamental. “Eu confiei no planejamento e no modelo proposto da marca, essa é uma fase econômica muito difícil para todos, mas a solução me trouxe otimismo e, mais do que isso, ela foi boa porque permitiu que clientes comprassem de casa, com frete grátis e em até um dia, isso também chamou a atenção dos compradores”, conta.

A Reserva decidiu apostar em tecnologia para as novas lojas que foram abertas. “Com esse modelo nós conseguimos entregar para o franqueado um sistema totalmente integrado, um exemplo são os totens nas lojas físicas que permitem a compra online de itens que não estão disponíveis naquela unidade e até a personalização completa dos produtos”, explica o CEO da empresa, Rony Meisler.

A estratégia adotada pela marca de moda masculina alcançou um resultado muito satisfatório. No mês de abril, a Reserva vendeu apenas 35% do que foi vendido no mesmo período no ano anterior, porém esses números foram crescendo e em julho as vendas superaram a comparação com 2019 e em setembro já equivalem 130% a mais do que o resultado do mesmo mês no ano passado.

No caso da OAKBERRY, o valor cobrado pelo fundo de propaganda e royalties foi isentado em todas as unidades. Outra providência foi a realização de uma rodada de negociações com todos os fornecedores, prorrogando prazos e reduzindo cobranças.

Fonte: assessoria de imprensa

Por Rafael Gmeiner
Editor do site Mundo das Franquias


Agência VitalCom
Negócio de Roupas em 30 Dias

Rafael Gmeiner

Jornalista, especialista em Produção de Conteúdo e Assessoria de Imprensa. Atualmente é CEO da Agência VitalCom e do site Mundo das Franquias. Há 20 atuando com Jornalismo e Comunicação, conta sua experiência com passagens por jornais impressos, televisão, rádio e sites, e acumula sete anos no segmento de Franquias